Bem vindo!

Tu que és um andarilho virtual na constante busca pelo conhecimento e diversão, celebre a vida conosco! Junte-se à nossa lareira, venha beber uma taça de vinho ou esfriar-se em uma grande caneca de cerveja, faça novos amigos ou solidifique velhas amizades.

"Sem comer e sem beber ninguém se cobre de glória" (provérbio viking).

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Kansas: Vinyl Confessions

Quando associamos o Estado do Kansas com a música, logo nos vem à mente o termo Country Music, mas no inicio da década de 1970, a cidade de Topeka, vivenciaria uma mudança drástica deste conceito, graças ao surgimento da banda de rock progressivo Kansas.

Embora a banda seja eternamente vinculada a seu icônico hitDust in the Wind”, um primoroso lançamento em 1982 não passaria despercebido.

Vinyl Confessions é uma obra que sem dúvida divide opiniões, uma vez que a influência do cristianismo é ressaltada em cada faixa apocalíptica do álbum, resultado da conversão de Kerry Livgren e Dave Hope na fé cristã. O oitavo disco da banda foi também um adeus para o saudoso som de violino presente em suas composições passadas.

video

Particularmente é um álbum que me agrada muito, já que possui um dos maiores hinos do rock, o megassucesso “Play The Game Tonight”, uma música que gerou a simbiose perfeita junto às propagandas do cigarro hollywood nos anos 80. O videoclipe é outro elemento chamativo para "Play The Game Tonight", possivelmente inspirado no filme "O Sétimo Selo" (Det Sjunde Inseglet) de 1957, já que retrata dois seres encapuçados jogando xadrez com o destino da humanidade, uma partida que vem desde o princípio dos tempos.

Além deste fabuloso hit, as faixas “Borderline”, “Crossfire”, “Chasing Shadows” e “Fair Exchange” também merecem destaque.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Enquanto isso na Matrix...

...esse Neo é realmente ingênuo.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Mais de 100 Gírias da Linguagem Popular Brasileira

As gírias representam a forma de expressão mais popular da linguagem, utilizada por determinados grupos sociais, pertencentes a uma classe, faixa-etária ou ocupação profissional. Trata-se de um método temporal não convencional, oriundo de grupos marginalizados, usado para exprimir atitudes, ações ou termos da linguagem culta, considerado por estes, ultrapassados.

Desconheço qualquer sociedade moderna que não tenha pelo menos uma gíria em seu vocabulário coloquial, na lingua inglesa, por exemplo, o termo gíria é conhecido como slang.

Fiz um pequeno estudo de alguns grupos sociais brasileiros e suas respectivas gírias, obviamente muitas delas caíram em desuso com o passar do tempo, fato que as tornam ainda mais interessantes para boas risadas. E muito cuidado ao falar certas gírias fora de sua época, você pode ser tachado (a) de velho (a)!
  
GÍRIAS DE JOVENS DA DÉCADA DE 60 E 70

Bicho: Sujeito. Forma amigável de chamar uma pessoa sem pronunciar seu nome.
Boko-Moko: Assim era chamada a pessoa que não sabia se comportar em um determinado círculo social, seja no modo de falar ou na forma de se vestir.
Broto: Essa é do tempo da Jovem Guarda e significava “moça adolescente”.
Bulhufas (ou lhufas): Não entendo bulhufas, ou simplesmente, não entendo “nada”.
Cafona: Deselegante ou algo fora de moda.
Canastrão: Mau ator.
Carango: Carro.
Careta: Conservador.
Coroa: Pessoa idosa ou mais velha. Patriarca.
Cricri: Chato ou irritante.
Discoteca: Casa noturna.
Gaita: Dinheiro.
Garota de Fechar o Comércio: Garota lindíssima.
Grilo ou Grilado: Preocupação ou preocupado.
Lelé da Cuca: Louco ou inconsequente.
Lero-Lero: Enrolação.
Mora?: Entende?
Na Crista da Onda: Em pleno sucesso.
Pão: Homem bonito.
Papo-Firme: Pessoa que cumpre com o combinado.
Plá: Conversa.
Prafrentex: Avançado.
Quadrado: Conservador.
Tá Russo: Está ruim ou de difícil solução.
Tremendão: Rapaz bonito. 
Uma brasa: Ótimo, muito bom 
Xuxu Beleza: Tudo certo.

GÍRIAS DE JOVENS DA DÉCADA DE 80 E 90

Animal: Ação radical ou surpreendente.
Antenado: Pessoa atualizada. 
Arrasar: Fazer sucesso em algo.
Azarar: Flertar.
Baba-Ovo (ou Baba-Egg): Bajulador ou puxa-saco.
Brega: Fora de moda. 
Cara: Sujeito. 
Caramba: Expressão de espanto. 
Caroço: Pessoa chata, enjoada.
Chaveco: Cantada, paquera. 
Chocante: Muito bom, surpreendente.
Cola no Meu Mocó: Vá a minha casa. 
Danceteria: Casa noturna.
Dar um Tapa: Fumar um cigarro de maconha.
Deprê: Acrônimo de depressivo. 
Detonar: Livrar-se de uma tarefa ou pessoa. 
É Ruim, Hein!: Mesmo que "tô fora!", "eu, hein!" ou "de jeito nenhum".
É Rod (ou É Rodney!): É ruim.
Ficar: Envolvimento afetivo sem compromisso por apenas algumas horas ou noite. 
Ficar de Rolo: Envolver-se com uma pessoa por algumas vezes sem exigir fidelidade. 
Fichinha: Facílimo. 
Fliper: Fliperama, casa de jogos eletrônicos. 
Gente Fina: Pessoa agradável ou confiável.
Lok: Atributo que define um sujeito que comete erros estúpidos.
Mauricinho: Sujeito arrumadinho e endinheirado, que sempre traja roupas de grife. 
Numa Nice: Ficar numa boa.
Patricinha: Versão feminina da gíria "Mauricinho". 
Playboy: Rico mimado. 
Plínio: Sujeito mais abonado que o "Mauricinho". 
Queimar o Chão: Ir embora. 
Queimar o Filme: Passar-se por ridículo em uma determinada situação. Perder uma boa oportunidade ou deixar de cumprir um compromisso. 
Roubada: Acontecimento ruim e imprevisível. 
Trampar: Trabalhar. 
Trampo: Local de trabalho. 
Valeu: Obrigado.
Zerar a Máquina: Finalizar os objetivos de uma máquina de fliperama. 
Zuar: Bagunçar. 

GÍRIAS MARGINAIS OU RELACIONADAS AO CRIME

Bobo: Relógio de Pulso
Busão: Ônibus coletivo.
Cagueta (ou Alcagueta): Delator. Quem denuncia algo ou alguém para obter vantagem. 
Chave de Cadeia: Situação ilegal arriscada ou algo ilegal arriscado. 
Coxinha: Policial Militar. 
Doutor (ou Doutô): Advogado ou pessoa com formação superior.
É fria: Situação perigosa.
Lupa: Óculos. 
Mandar Um Verbo: Pronunciar-se sobre algo. 
Mano: Parceiro em algo, amigo ou irmão. 
Mili Duk: Há muito tempo. 
Mina: Mulher.
Muquiar: Esconder.
Pisante: Tênis ou calçado. 
Tá Embaçado: Está complicado ou de difícil solução. 
Tira: Investigador ou Policial Civil. 
Três-Oitão (ou 38): Arma de fogo. 
Treze (ou 13): Sujeito louco ou maluco. 
Truta: Pessoa de confiança. Amigo verdadeiro. 
Um-Sete-Um (ou 171): Estelionatário.
Vacilão: Sujeito que comete erros grosseiros.
Vinte-e-Quatro (ou 24): Homossexual ou homoafetivo.

GÍRIAS HOMOAFETIVAS

Amapô: Mulher.
Babado: Novidade. 
Babado Forte: Novidade reveladora ou importante. 
Barbie: Homossexual hipertrofiado. 
Bichinha Pão-com-Ovo: Gay pobre ou com atitude medíocre. 
Bofe: Homem másculo. 
Coturninho: Lésbica com atitude masculina. 
Dar a Elza: Furtar. 
Dar o Truque: Enganar. 
Desaquenda: Esquecer algo ou afastar-se e algo. 
Entendido (a): Um suposto gay não assumido. 
Naja: Fofoqueiro ou pessoa que não inspira confiança. 
Pochete: Lésbica com mau gosto para se vestir. 
Quebrar a Louça: Relação sexual entre mulheres. 
Ratoburguer: Sujeito com mau hálito. 
Sair do Armário: Assumir a homossexualidade para a sociedade.
Sandalinha: Lésbica delicada e feminina. 
Serginho: Homossexual inocente ou sonhador. 
Tombado: Sujeito em situação desfavorável. 
Urso (ou Ursinho): Homossexual peludo e acima do peso. 

GÍRIAS DE SKATISTAS

Baba-Egg: Pessoa muito bajuladora. 
Chupar Uma Manguita: Se dar mal, cair do skate. 
É Novas: Todo mundo já sabe. 
Gralha: Skatista ruim. 
Madonna: Manobra radical. 
Morcegar: Andar de skate à noite. 
Pleiba: Rico que anda de skate. 
Radical: Ação extrema, que causa boa ou má impressão. 
Tá na Hands: Está tudo certo, sob controle. 
Tem jeito?: Tudo bem? 

GÍRIAS DE SURFISTAS

Arrebentar: Se sair muito bem em algo. 
Bacalhau: Mulher feia. 
Brother (ou Brou): Camarada, colega. 
Chutar o Pau da Barraca: Bagunçar tudo de uma vez. 
Clean: Mar agitado, mas sem vento. 
Crowd: Lugar lotado de pessoas. 
Estar no Rip: Estar em forma. 
Flat: Mar sem ondas.
Fubanga: Mulher feia. 
Grommett: Surfista novo, com faixa-etária entre 10 a 12 anos de idade. 
Kaô: Conversa mentirosa ou exagerada. 
Larica: Fome ou comida rápida. 
Maroleiro: Surfista que gosta de ondas pequenas. 
Merreca: Onda pequena ou marola. 
Morra: Onda grande. 
Morte Horrível: Cair da prancha e ser engolido pela onda. 
Pagar Mico: Fazer besteira ou passar vergonha. 
Paneleiro: Surfista ruim. 
Pipocar: Ficar com medo de uma onda grande e com isso retirar-se do mar. 
Storm: Mar agitado, com vento. 
Tomar Um Caldo: Ser coberto por uma onda. 

GÍRIAS DE AUTOMOBILISMO

Barbeiro: Péssimo motorista. 
Domingueiro: Motorista neófito que apenas conduz seu veículo nos finais de semana. 
Farol: Semáforo.
Fina: Quando um veículo passa rente ao outro. 
Maria Gasolina: Mulher interesseira. 
Pé-de-Chumbo: Sujeito que conduz seu veículo em velocidade alta. 
Roda Presa: Motorista que dirige vagarosamente. 

GÍRIAS DO FUTEBOLISMO

Banheira: Jogador que tem por hábito ficar na área do gol do adversário, estando sempre em impedimento. 
Cartola: Dirigente de clube. 
Dar de Bico: Chutar com a ponta do pé. 
Firula: Jogada desnecessária com intuito de humilhar o adversário. 
Fominha: Sujeito que não passa a bola.
Frango: Bola facilmente defensável, mas que entra no gol. 
Frangueiro: Goleiro que tem o hábito de deixar escapar bolas facilmente defensáveis. 
Jogar de Salto Alto: Empenhar-se pouco. Fazer o mínimo para o time em detrimento de um baixo salário. 
Maria Chuteira: Mulher interesseira que procura envolvimento com jogadores profissionais.

GÍRIAS DE ACADEMIAS DE GINÁSTICA E LUTA

Bolado: Pessoa hipertrofiada que supostamente utilizou anabolizantes. 
Bombado: Pessoa hipertrofiada que evidentemente utilizou anabolizantes. 
Espalhar o Frango: Tirar a base de apoio de um adversário numa luta de chão.
Frango: Pessoa com pouca massa ou desenvolvimento muscular. 
Homem-Taça: Homem com relevante hipertrofia dorsal e pernas finas ou pouco desenvolvidas. 
Maria Tatame: Mulher interesseira que procura envolvimento com lutadores profissionais. 
Marombeiro: Frequentador de academia ou praticante assíduo de exercícios físicos.
Mata-Leão: Golpe de Jiu-Jitsu que provoca esganadura. 
No Shape: Em forma. 
Rasgado: Definido. 
Voadora: Chute aéreo.
Zerar a Máquina: Levantar todos os pesos de um aparelho de ginástica.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Playlist: Baladas Nostálgicas

Lembra-se daquela velha balada romântica que marcou um determinado episódio de sua vida, mas você não se recorda do interprete ou do nome da música? Pois bem, elaborei uma modesta seleção contendo 20 baladas nostálgicas que ainda nos emocionam na atualidade, algumas tocadas por rádios como Antena 1 e Eldorado, que por vezes nem mencionam o nome do sucesso.

20 BALADAS NOSTÁLGICAS (PLAYLIST)
1. Rockwell - Knife
2. Stephen Bishop - It Might Be You
3. Dollar - Who Were You With in The Moonlight
4. Alice Cooper - How You Gonna See Me Now
5. F. R. David - Music
6. Jon And Vangelis - Deborah
7. The Moody Blues - Talking Out Of Turn
8. Benjamin Orr  -  Stay The Night
9. The Hollies - Don't Let Me Down
10. David Gates - Take Me Now
11. P.h.D. - I Won't Let You Down
12. Rick Ocasek - Emotion in Emotion
13. The Korgis - Don't Look Back
14. Mick Fleetwood - You Weren't in Love
15. Jim Diamond - Remember I Love You
16. Frankie Valli & Four Seasons - My Eyes Adored You
17. The Hudson Brothers - So You Are a Star
18. Air Supply - All Out Of Love
19. Roger Daltrey - Without Your Love
20. Christopher Cross - Never Be The Same

    segunda-feira, 26 de setembro de 2011

    Linguiça Frescal Caseira

    A origem deste embutido ainda é incerta, mas sabe-se que o trovador Homero já mencionava a paixão grega por linguiças grelhadas em seu poema épico Odisseia.

    Para celebrar uma paixão que remonta a Grécia e Roma Antiga, eis que trago a receita de uma linguiça artesanal muito saborosa, ótima quando acompanhada por fatias de pão francês, vinho ou cerveja. Na lista de vinhos para harmonizar este prato, recomendo: Merlot, Malbec ou Chianti.

    Por ser fresca, o consumo deve ocorrer em menos de cinco dias e o ambiente de conservação deverá ser propiciado por um refrigerador em temperatura mínima de 4ºC.


    Rendimento: 3,5 kg (aproximadamente)

    Ingredientes
    • 3 kg de pernil de porco
    • ½ kg de toucinho
    • 10 dentes de alho descascados e bem picados
    • 06 pimentas malagueta ou pimentas-de-cheiro frescas, bem picadas
    • Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto
    • 01 xícara e ¼ (chá) de vinho branco seco (300 ml)
    • Sumo de limão o quanto for necessário
    • Tripa seca o quanto for necessário
    Acessórios
    • 01 rolo de barbante limpo
    • 01 funil de plástico
    • 01 processador de alimentos ou moedor de carne

    Modo de Preparo
    1. Em um processador de alimentos ou moedor de carne, moa o pernil de porco e o toucinho.
    2. Numa tigela grande, misture as carnes moídas, as pimentas malagueta, o alho e o vinho branco.
    3. Tempere com sal, pimenta-do-reino e volte a misturas. Deixe descansar em local fresco por cerca de 4 horas ou de um dia para o outro na geladeira.
    4. Deixe a tripa seca de molho em água fria por 1 hora aproximadamente. Escorra e molhe-a com bastante suco de limão.
    5. Lave a tripa várias vezes, deixando passar a água em seu interior. Seque-a sobre um pano de prato limpo.
    6. Amarre uma das pontas da tripa e, com o auxílio do funil, vá enchendo-a com o recheio preparado. Evite o excesso de recheio, não aperte muito e não deixe bolhas de ar.
    7. Utilize o barbante para formar os gomos da linguiça, amarrando espaçadamente, na medida que lhe convier.
    8. Faça alguns furos com um palito bem fino ou uma agulha. Frite as linguiças em óleo quente ou grelhe-as na churrasqueira.

    domingo, 25 de setembro de 2011

    Rio Grande do Sul: Bah Tchê, Quanta Fartura!

    Gaúcho dos Pampas
    O constante emprego do pronome na segunda pessoa do singular, a roda de chimarrão e o provocativo aroma exalado pela churrasqueira dá pistas que o solo é gaúcho, todavia, a composição cultural estaria incompleta sem a pilcha (a tradicional indumentária gaúcha) e o Chico do Porrete (a vigorosa dança masculina do bastão).

    O antigo alimento dos vaqueiros, o arroz-de-carreteiro, tornou-se um dos pratos mais apreciados da cozinha sulista, dividindo espaço com outra gostosura, o feijão campeiro. Nos pampas, a fraternidade gaúcha surge com a infusão da erva-mate servida em um mesmo porongo (cuia) e bomba, saudando amigos que se aproximam para uma boa prosa e um quente chimarrão.

    Mercado Público de Porto Alegre
    Com a chegada dos imigrantes alemães (em 1824) vieram os cafés coloniais, revelando verdadeiras delícias do receituário das famílias germânicas, como as cucas e o Apfelstrudel. Já os italianos que se estabeleceram na Serra Gaúcha (desde 1875), transformaram as cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi e Caxias do Sul em importantes ícones da vitivinicultura nacional.

    Vinhedo em Bento Gonçalves
    O Rio Grande do Sul detém mais de 90% da produção de vinhos do país, bem como é responsável pela proliferação mundial das churrascarias com sistema rodízio (ou espeto corrido). Sem dúvida a grande vocação gaúcha iniciou-se com a chegada do boi na época das capitanias hereditárias, a simples escolha do tempero (o sal grosso) e a meticulosa técnica de preparo, faz do churrasco um prato memorável.

    Porto Alegre
    O inverno é a estação do charme e romantismo, o jeito europeu de Gramado e Canela convida o visitante aquecer-se, saboreando um clássico suíço, a fondue, quem sabe acompanhado de um excelente Chardonnay ou de chocolates artesanais.

    Paróquia Nossa Senhora de Lourdes em Canela
    Além do clima e da paisagem, os gramadenses orgulham-se das celebrações do município, como o Festival de Cinema Brasileiro e Latino, o Festival Internacional de Gastronomia, e a Festa da Colônia. A realidade “tchê”, é que o estado atende todos os gostos, não só culturalmente e gastronomicamente, mas também no ecoturismo, propiciando a prática do rapel, do rafting, do trekking, do vôo livre e da mountain bike.

    sábado, 24 de setembro de 2011

    Os 10 Benefícios do Vinho à Saúde

    A fama dos efeitos medicinais do vinho tinto não poderia ter outra origem, senão na França. O paradoxo francês é formado por dois fatores contraditórios: uma gastronomia rica em gordura saturada e a baixa incidência de doenças coronárias.

    É evidente que a ingestão diária de altas doses de laticínios, como queijos, molhos à base de leite e manteiga, resultará em riscos para o coração, todavia, parece que o hábito de beber vinho, gerou uma proteção natural nos franceses.

    O vinho branco goza dos mesmos benefícios de seu irmão rubro, porém, com potência inferior, já que seu contato com as cascas das uvas é mínimo durante o processo de vinificação.

    Não custa nada ressaltar que o consumo deve ser moderado, um cálice ao dia, pois o excesso de álcool pode causar algumas doenças bem terríveis, como cirrose hepática e alcoolismo.

    Os 10 Benefícios do Vinho à Saúde
    1. Desobstrução dos Vasos Sanguíneos: Os altos níveis de procianidinas impedem a oxidação do colesterol ruim, que acumula-se nas artérias, podendo provocar infarto ou derrames.
    2. Combate a Anemia: Um calice de vinho tinto contém, em média, 0,5 mg de ferro, que agregado ao álcool, o organismo absorve melhor o mineral.
    3. Proteção do Sistema Urinário: O vinho tinto reduz em até 60% o risco de formação de cálculos urinários.
    4. Diminui o Risco de Osteoporose: O consumo da bebida melhora a densidade óssea, por isso, é altamente recomendado para as mulheres.
    5. Reduz o Risco de Alzheimer: As substâncias do vinho evitam o envelhecimento das células cerebrais.
    6. Estimula a Boa Visão: A ação antioxidante diminui a degeneração ocular.
    7. Contra Herpes: O resveratrol impede a multiplicação do vírus que provoca a herpes.
    8. Anticancerígeno: O resveratrol também controla os radicais livres do organismo, inibindo mutações genéticas que resultam no aparecimento de tumores.
    9. Agente Antibacteriano: Um estudo de 2007 descobriu que o vinho combate a linhagem do Streptococcus.
    10. Resposta Contra a Infecção por Fungos: Em algumas partes do mundo o vinho é utilizado para tratar ferimentos.

    sexta-feira, 23 de setembro de 2011

    Simple Minds: Don't You (Forget About Me)

    Inegavelmente a música "Don't You (Forget About Me)" representa o maior hit da banda escocesa Simple Minds. A afinada voz de Jim Kerr, a exuberante sonoridade do teclado de Michael MacNeil e a inconfundível guitarra de Charlie Burchill, tornou a obra de Keith Forsey e Steve Schiff um hino icônico que irá perdurar por séculos.

    É irônico saber que a música foi recusada por Billy Idol e Bryan Ferry antes de chegar às mãos do Simple Minds, isso nos faz pensar que o destino gera acontecimentos providenciais.

    Temendo ofuscar as faixas do álbum Once Upon a Time (1985), a banda decidiu que a música faria parte, apenas naquele momento, da trilha sonora do filme "Clube dos Cinco" (The Breakfest Club).

    Don't You Forget About Me (Keith Forsey/Steve Schiff)

    video
    (Hey, hey, hey, hey)

    Won't you come see about me
    I'll be alone dancing, you know it, baby
    Tell me your troubles and doubts
    Giving me everything inside and out
    And love's strange: so real in the dark
    Think of the tender things
    That we were working on
    Slow change may pull us apart
    When the light gets into your heart, baby

    Don't you forget about me
    Don't, don't, don't, don't
    Don't you forget about me

    Will you stand above me
    Look my way, never love me
    Rain keeps falling
    Rain keeps falling
    Down, down, down
    Will you recognize me
    Call my name or walk on by
    Rain keeps falling
    Rain keeps falling
    Down, down, down, down

    (Hey, hey, hey, hey)

    Don't you try and pretend
    It's my beginning
    We'll win in the end
    I won't harm you
    Or touch your defenses
    Vanity, insecurity

    Don't you forget about me
    I'll be alone dancing, you know it, baby
    Going to take you apart
    I'll build us back together at heart, baby

    Don't you forget about me
    Don't, don't, don't, don't
    Don't you forget about me

    As you walk on by
    Will you call my name
    As you walk on by
    Will you call my name
    When you walk away

    Oh, will you walk away
    Will you walk away
    Oh, call my name
    Will you call my name

    quinta-feira, 22 de setembro de 2011

    Alexandre Dumas: Romancista e Gourmet

    Alexandre Dumas (1802-1870) é mundialmente conhecido como um célebre romancista, autor de clássicos da literatura, como “Os Três Mosqueteiros” e “O Conde de Monte Cristo”, contudo, poucas pessoas sabem que o escritor francês era um gourmet de mão cheia, responsável por criar uma das principais referências literárias na gastronomia.

    O “Grande Dicionário de Culinária” (Le Grand Dictionnaire de Cuisine) contém mais de 400 receitas da cozinha clássica europeia (entre aves, carnes, peixes, iguarias exóticas, sobremesas e molhos), crônicas, curiosidades e obviamente a história de ingredientes e sua aplicação na culinária.

    As 275 ilustrações de época compõem outro capítulo interessante do dicionário, grande parte realizadas pelos mestres Gustavo Doré, Amédée Varin, J. J. Grandville.

    Os brasileiros poderão desfrutar desta histórica obra traduzida para o português, publicada pela Editora Zahar do Rio de Janeiro.

    Para quem busca gastronomia, história, antropologia e literatura erudita, a referida obra é completa, além de ter certo toque de humor inteligente.

    quarta-feira, 21 de setembro de 2011

    As Outras 10 Melhores Apresentações de Rock do Programa The Midnight Special

    O sucesso foi tão grande da postagem original (mais de 1000 visualizações) que resolvi elaborar uma segunda Taverna Top Ten com o mesmo tema, desta vez chamando-se: As Outras 10 Melhores Apresentações de Rock do Programa The Midnight Special.

    Conforme mencionei anteriormente, o referido programa televisivo foi ao ar na NBC em agosto de 1972 a maio de 1980 (com alguns especiais em 1981), sendo considerado a melhor referência musical da época, uma vez que a MTV (Music Television) surgiu apenas em 1981. Nesta nova lista, veremos bandas como Ace Flash And The Dynamos (ou simplesmente Ace) com o hit "How Long (Has This Been Going On)", The Steve Miller Band com o single "Fly Like An Eagle", Christopher Cross com o megassucesso "Ride Like The Wind", Steppenwolf com o hino dos motociclistas "Born To Be Wild" e Bryan Ferry com sua Roxy Music.

    video
    T-Rex (1973)

    video
    New York Dolls (1973)

    video
    Ace (1974)

    video
    The Steve Miller Band (1974)

    video
     Peter Frampton (1975)

    video
    Roxy Music (1975)

    video
    Steppenwolf (1975)

    video
    Stephen Bishop (1977)

    video
    Alice Cooper (1979)

    video
    Christopher Cross (1980)
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...