Bem vindo!

Tu que és um andarilho virtual na constante busca pelo conhecimento e diversão, celebre a vida conosco! Junte-se à nossa lareira, venha beber uma taça de vinho ou esfriar-se em uma grande caneca de cerveja, faça novos amigos ou solidifique velhas amizades.

"Sem comer e sem beber ninguém se cobre de glória" (provérbio viking).

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Red Hot Chili Peppers: Californication

Após 08 anos de seu lançamento, a sombra do Blood Sugar Sex Magik (1991) ainda perseguia os norte-americanos do Red Hot Chili Peppers, mas em 1999, um álbum intitulado Californication, faria o presente ensolarado novamente.

Para concluir este sucesso, os integrantes da banda resolveram olhar para seu passado triunfal, despediram o guitarrista Dave Navarro (ex-Jane's Addiction) e chamaram de volta John Frusciante, além de recontratarem Rick Rubin como agente produtor.

O envolvente projeto gráfico da capa, foi assinado pelos californianos do RHCP com co-autoria de Lawrence Azerrad.

Em Californication, nos deparamos com uma banda madura, sem exageros performáticos, e moldada para uma nova geração de fãs do funk-rock praiano.

video
Músicas como “Scar Tissue”, “Otherside”, “Californication”, “Porcelain” e “Road Trippin” são motivos suficientes para você adquirir este magnífico álbum.

video

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Electra Glide: A Moto dos Patrulheiros Rodoviários

Grande parte dos leigos e apreciadores neófitos das motocicletas Harley-Davidson conhecem apenas o modelo Fat Boy dentre o vasto acervo da empresa de Milwaulkee, uma ideia fixa que infelizmente acaba deixando de lado outros maravilhosos ícones em duas rodas, como a emblemática Electra Glide.

A família das Glide’s remonta 1949, ano em que foi fabricada a pioneira Hydra Glide, de 1200 cc. A Electra Glide representa a terceira geração desta bem sucedida série, unindo a robustez de suas antecessoras com a praticidade do arranque elétrico.

Particularmente sou adepto dos primeiros modelos da Electra Glide (FL e FLH), pois o design era bem mais atrativo, uma autêntica California Highway Patrol Bike, além de ser equipada com o famigerado motor Panhead.

É fato que as motocicletas contemporâneas tornaram-se mais avançadas em tecnologia e conforto, como no caso da Ultra Electra Glide Classic, uma verdadeira poltrona motorizada, na qual é possível ouvir um bom rock'n'roll enquanto caí na estrada, e detalhe que até a garupa pode mudar as estações de rádio nos comandos localizados na lateral do banco.

É apenas lamentável que este clássico ficou estigmatizado como "moto de tiozão", porém, não foi feita para qualquer bolso, já que seu preço chega ao Brasil acima dos 70 mil reais.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Kissinfame

...essa a Vivi vai adorar!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Galãs em Preto e Branco (Parte II)

Seria injusto pontuar a postagem anterior com apenas cinco galãs do passado, sendo assim, resolvi criar um retorno para promover novos veteranos da indústria cinematográfica hollywoodiana. Não há exagero em dizer que todos, sem exceção, coligiram milhares de fãs por gerações, sejam mulheres, crianças ou mesmo homens.

STEVE REEVES foi o precursor dos protagonistas fortões em filmes de ação e aventura na Hollywood da década de 1950. Sua dedicação ao fisiculturismo agregada à carreira de ator serviu de inspiração para ninguém menos que Arnold Schwarzenegger, um fã incondicional do astro que imortalizou "Hércules" no cinema (1958 e 1959). Reeves nasceu em 1926, em Montana, dono de uma beleza apolínea e corpo simétrico, mas que infelizmente faleceu no ano de 2000, aos 73 anos de idade, por consequência de um linfoma.

CHARLTON HESTON foi um dos maiores, senão o maior galã de épicos da história do cinema, protagonizou filmes como "Ben-Hur" (1959), "Os Dez Mandamentos" (1956), "El Cid" (1961), "O Planeta dos Macacos" (1968) e "Aeroporto 1975" (1974). Segundo as mulheres, o charme de Charlton Heston estava na sua postura viril e máscula de superar desafios, e obviamente também nos seus 1m91cm de altura. Em 05 de abril de 2008, o bem sucedido ator libriano, que curiosamente nasceu no mesmo dia e mês deste narrador, encarou o outro lado da ribalta, deixando para trás um legado de fama e louros que durará para sempre.

GREGORY PECK tornou-se um dos principais astros dos filmes de guerra das décadas de 40, 50, 60 e 70, contudo, foi em películas como "A Princesa e o Plebeu" (1953), "Davi e Betsabá" (1951), "A Conquista do Oeste" (1962) e "O Sol é Para Todos" (1962) que Mr. Peck consolidou a conquista de seu publico feminino. Lamentavelmente a luz deste ator califórniano apagou-se em 12 de junho de 2003.

JAMES DEAN representava o galã com espírito indomável, mas que no fundo era um bom rapaz. A imagem de James Dean tornou-se tão icônica quanto os personagens que interpretava, e junto com Marilyn Monroe e Elvis Presley, figura o retrato de um saudoso período da história americana. Sua carreira como ator foi curta, mas intensa, principalmente se lembrarmos de alguns de seus famosos trabalhos, como "Juventude Transviada" (1955) e "Assim Caminha a Humanidade" (1956). Como muitos já sabem, James Dean faleceu em 30 de setembro de 1955, por consequência de um estúpido acidente automobilístico.

YUL BRYNNER é um daqueles vilões que adoramos odiar, seja em um clássico interpretando o faraó Ramsés ou no papel do pistoleiro Sabata em um famoso "bang bang à italiana" (denominado Spaghetti Western). Em 1985, o exótico e talentosíssimo ator russo, oriundo de Vladivostok, faleceu de câncer pulmonar, vítima de um péssimo hábito que podemos ver na foto acima, o maldito cigarro.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Saga Crepúsculo: Se há atrito, há amor recolhido

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Os 10 Vocalistas Mais Bonitos dos Anos 80

Que tal retroceder 30 anos para apreciar a beleza e o charme dos vocalistas mais bonitos da década de 1980. Na minha adolescência, eu e minhas amigas, esperávamos ansiosas pela chegada do sábado, para assistirmos ao "Som Pop", o único programa de videoclipes da época, que nos saciava com a aparição de nossos ídolos, algo muito restrito no inicio de 80 (vale lembrar que a MTV ainda não existia no Brasil e o que dizer da World Wide Web).

Fazendo jus a temática do tópico, selecionei apenas 10 bonitões que arrancaram suspiros e arrebataram milhares de fãs ao redor do mundo, contudo, há ainda outros que poderiam fazer parte de uma segunda lista, como Andrew Mann (When in Rome), George Michael (Wham!), Bruce Springsteen (Solo), Joe Elliot (Def Leppard), David Bowie (Solo), Peter Frampton (Solo), Tony Hadley (Spandau Ballet), Patrick Swayze (Solo), Paulo Ricardo (RPM) e Guilherme Isnard (Zero).

SIMON LE BON (DURAN DURAN)
Como muitos já devem saber, Simon Le Bon é o vocalista da renomada banda britânica Duran Duran, que inclusive acabou de se apresentar no Festival de Rock SWU em Paulínia, São Paulo (novembro de 2011). Simon, em minha opinião, é o "the best" de um grupo onde todos são bonitos, não é atoa que a falecida princesa Diana os elegeram como sua banda preferida. O escorpiano de cabelos loiros e olhos azuis nascido em 1958, sempre trajava roupas de estilistas famosos, para cantar e dançar, fazendo caras e bocas irresistíveis.

video
Is There Something I Should Know


 RICK SPRINGFIELD (SOLO)
Moreno de olhos verdes e rosto quadrado, Rick Springfield, um músico australiano nascido em 23 de agosto de 1949, está em minha opinião na posição de Apolo do Rock’n’Roll. Em 1981, Rick foi agraciado com um Grammy Awards pelo primeiro lugar nas paradas americanas, obtido com o sucesso “Jessie's Girl”. Era o preferido também da personagem interpretada pela atriz Jennifer Garner, na comédia romântica “De repente 30". Bem, só por curiosidade, hoje namoro com a minha versão do Rick, quem espera sempre alcança!!!

video
Jessie's Girl


STING (THE POLICE)
Lembro-me como se fosse ontem do primeiro videoclipe que assisti do programa Som Pop, cujo ritmo embalou uma festinha de aniversário na qual participava: “De Do Do Do, De Da Da Da” da banda inglesa The Police. Com cabelos loiros e olhos azuis penetrantes, tranquilamente Sting estava entre os cinco vocalistas mais bonitos do universo roqueiro, e não estou exagerando, pois, junto com minhas amigas do colegial, fomos a sua apresentação no estádio do Pacaembu em 1987, que, aliás, foi a turnê que iniciou suas viagens pela Amazônia, em defesa do meio ambiente.

video
De Do Do Do, De Da Da Da


MICHAEL HUTCHENCE (INXS)
Considero a beleza de Michael Hutchence parecida em trejeitos e traços com a de Jim Morrison (The Doors), e pelo jeito minha opinião não é isolada, já que o antigo vocalista do INXS foi considerado um sex symbol no referido período. Lamentavelmente esse belo australiano foi encontrado morto em 22 de novembro de 1997, num quarto de hotel, em circunstâncias ainda estranhas.
video
Need You Tonight


DAVE BICKLER (SURVIVOR)
Detentor de um rosto angelical com cabelos castanhos claros e olhos azuis, Dave Bickler, o primeiro vocalista da banda norte-americana Survivor (1978-1983 e 1993-2000), ficou imortalizado pela interpretação do fabuloso hit "Eye Of The Tiger", tema do filme Rock III. Além de possuir uma voz marcante, sua boina preta, camiseta branca, calça de couro e suspensórios foram outros elementos que o tornaram um ícone dos anos 80.

video
Eye Of The Tiger


MORTEN HARKET (A-HA)
Todos já sabem que o vocalista norueguês Morten Harket é dono de uma voz etérea invejável, responsável por promover o trio A-ha na posição de "super celebridade" da década de 1980, entretanto, sua segunda qualidade é tão inerente quanto à primeira.  Morten colecionava fãs por todo o mundo, e seu apelo só não se tornou maior por causa de um hábito detestável: inserir suas namoradas em toda a rotina profissional do A-ha, isto também incluía os videoclipes da banda, como “Take On Me”.

video
Stay On These Roads


BONO VOX (U2)
Oriundo de Dublin na Irlanda, o vocalista da mundialmente renomada banda de rock U2, Mr. Bono Vox, dispensa quaisquer apresentações. O artista que nos anos 80 tinha uma bela aparência tornou-se ainda mais bonito devido seu coração filantrópico e engajamento em causas nobres, fato que o fez merecedor do título de cavaleiro do Reino Unido, além de Personalidade do Ano pela revista Time. Fui agraciada com a oportunidade de assistir ao show Vertigo aqui no Brasil, e minha opinião não poderia ser outra senão que eles arrasam!

video
Pride (In The Name Of Love)


BRYAN FERRY (SOLO)
Bonito, charmoso e chiquérrimo, são algumas das qualidades de Bryan Ferry, um cantor com predisposição para as coisas boas da vida, com muito refinamento e romantismo na escolha dos detalhes, dentre esses, a seleção das belas modelos que compunham seus videoclipes. Também ficou conhecido por se envolver com mulheres lindíssimas, como Jerry Hall, modelo da capa do álbum “Siren” (Roxy Music). Tive o prazer de assistir bem de pertinho Bryan Ferry, numa apresentação inesquecível na antiga casa de shows Olímpia (São Paulo), na década de 1990.

video
Don't Stop The Dance


BRET MICHAELS (POISON)
Muitos podem achar o visual de Bret Michaels um tanto efêmero, mas é fato que sua beleza andrógena conquistou milhares de fãs na década de 1980, em grande parte formada por groupies enlouquecidas. O resultado não poderia ser outro além de instabilidade nos relacionamentos e famigeradas “puladas de cerca”. Bonito, mas ordinário!

video
Every Rose Has It's Thorn


JON BON JOVI (BON JOVI)
Jon Bon Jovi é um daqueles sujeitos que pode ser comparado com um bom vinho, isto é, fica melhor no passar dos anos, ainda mais se relembrarmos a fase dos cabelos feios da década de 1980. A época do envelhecimento no carvalho atingiu seu auge com o lançamento do álbum "Keep The Faith" em 1992, ano em que Jon Bon Jovi exibia um visual mais moderno: cabelos com luzes e corte desalinhado em camadas.

video 
Runaway

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Barbera

Vastamente consumido na Itália, o vinho Barbera (pronuncia-se "barbêra"), produzido a partir de uma cepa homônima desenvolvida em solos argilosos, representa uma das melhores opções para o dia-a-dia, mas que infelizmente chega ao Brasil com seu preço devidamente salgado.

O sabor frutado que remete a cereja, agregado a uma acidez enérgica, faz do Barbera de Piemonte, um clássico moderno, agradável quando consumido com massas, pizzas ou qualquer prato à base de tomate.

No quesito valoração, pode ser dito que existem dois tipos de Barberas, o primeiro, mais acessível, produzido em tanques de aço inoxidável, o que elimina traços de tanino; o segundo, bem caro, envelhecido em barris de carvalho francês, conferindo mais tanino do que o normal.

Entre os melhores, destacam-se o Barbera d'Alba e o Barbera d'Asti.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sardenha: São Teodoro

São Teodoro (San Teodoro) é um dos lugares mais belos da Sardenha (Sardinia), que faz parte da luxuosa Costa Esmeralda, reduto de milionários, nobres e celebridades internacionais.

O paraíso com águas em tom azul-esverdeado foi redescoberto em 1950 por um grupo de magnatas e, até hoje, é visitado por belíssimos iates e helicópteros.

Em Cabo Coda Cavallo (Capo Coda Cavallo) é possível vislumbrar um surpreendente cenário de cores distintas e praias cristalinas, emoldurado pelas ilhas Molara e Tavolara. Um ótimo local para apreciar a paisagem e degustar uma deliciosa herança dos fenícios, a bottarga (ovas de tainha prensadas, salgadas e secas), também conhecida como o "caviar da Sardenha", apresentada na forma de antepasto ou na famosa Pasta con la Bottarga.

A praia La Cinta é ideal para as férias familiares, enquanto Tavolara detém a atenção dos mergulhadores, mesmo apesar ser parcialmente restrita aos militares.

Voltando à Cozinha Sarda, existem outras delícias que são parada obrigatória para o garfo de qualquer gourmet, dentre essas o Malloreddus allo Zafferano (Nhoque da Sardenha), o Risotto alla Pescatora (Risoto à Moda do Pescador), as Seadas (Pastéis de Queijo com Mel) e os Suspirus (Suspiros de Amêndoas).

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Risotto alla Pescatora

O Risoto à Moda do Pescador (Risotto alla Pescatora) é uma tradicional especialidade da Sardenha, na qual, obviamente, se utiliza os deliciosos e fresquissímos frutos do mar encontrados na costa da ilha.

Uma dica muito importante para obter a consistência ideal do risoto e não lavar o arroz antes de cozê-lo.

Prepare o caldo de camarão em fogo brando, utilizando: a cabeça e a casca dos camarões, uma cenoura média, uma cebola média e um ramalhete com ervas frescas de sua preferência. Não se esqueça de coar o caldo no final e, para acompanhar o risoto, sugiro um Gewürztraminer chileno.

Rendimento: 04-05 pessoas

Ingredientes
  • 400 g de arroz arbóreo 
  • 500 g de mexilhões  
  • 500 g de camarões médios 
  • 500 g de vôngoles  
  • 02 lulas grandes com cabeça, limpas e fatiadas em anéis 
  • 01 cálice de vinho branco seco 
  • Caldo de camarão (cerca de 2 litros ou o quanto for necessário) 
  • 01 cebola média picada 
  • 02 dentes de alho picados 
  • 01 talo de salsão fatiado 
  • 02 colheres (sopa) de salsinha fresca picada 
  • 01 colher (sopa) de manteiga (20 g) 
  • 03 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem (45 ml) 
  • Sal marinho e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Modo de Preparo
  1. Com o auxílio de uma escova, limpe muito bem as conchas dos vôngoles e dos mexilhões. Limpe os camarões e reserve as cabeças e as cascas para o caldo. 
  2. Disponha os mariscos em panelas separadas, tampe-as e leve-as em fogo alto até as conchas se abrirem (aproximadamente 5 minutos). Descarte os mariscos que permanecerem fechados em suas conchas. 
  3. Retire os moluscos de suas conchas, mas reserve alguns para decoração do prato. 
  4. Em uma panela, aqueça o azeite de oliva e refogue a cebola e o alho até ficarem transparentes. Acrescente a lula em anéis, o camarão e refogue por mais 5 minutos. 
  5. Junte o salsão e refogue-o levemente. Agregue o arroz e os frutos do mar restantes.
  6. Adicione o vinho branco, espere evaporar, para então acrescentar uma concha de caldo de camarão. Quando o líquido estiver quase evaporado, adicione outra concha de caldo e continue a repetir esse processo até o arroz ficar "al dente".  
  7. Tempere com sal marinho, pimenta-do-reino e salsinha pícada. Desligue o fogo e incorpore a manteiga rapidamente.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

The Doobie Brothers: What A Fool Believes

What A Fool Believes é a segunda faixa do álbum Minute by Minute (1978) da banda californiana The Doobie Brothers.

O bem sucedido hit foi composto por Kenny Loggins e Michael Mcdonald, que, aliás, é o melhor interprete da música, já que sua voz a torna memorável, transpassando gerações.

Não é por menos que o "tremendão" Erasmo Carlos ficou embasbacado ao assistir um show da banda no final da década de 70.

video

What A Fool Believes (Michael McDonald/Kenny Loggins)

He came from somewhere back in her long ago
The sentimental fool don’t see
Tryin’ hard to recreate
What had yet to be created once in her life

She musters a smile
For his nostalgic tale
Never coming near what he wanted to say
Only to realize
It never really was

She had a place in his life
He never made her think twice
As he rises to her apology
Anybody else would surely know
He’s watching her go

But what a fool believes he sees
No wise man has the power to reason away
What seems to be
Is always better than nothing
And nothing at all keeps sending him…

Somewhere back in her long ago
Where he can still believe there’s a place in her life
Someday, somewhere, she will return

She had a place in his life
He never made her think twice
As he rises to her apology
Anybody else would surely know
He’s watching her go

But what a fool believes he sees
No wise man has the power to reason away
What seems to be
Is always better than nothing
There’s nothing at all
But what a fool believes he sees…

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Olivia De Berardinis: Pin-Ups com Puro Erotismo

On Point
A californiana Oliva De Berardinis é o exemplo que um talento fenomenal não escolhe sexo. A artista americana que cresceu no auge da década de 1950 em Long Beach foi influenciada por um habitat de cadillacs, praias e belíssimas pin-ups em carne e osso, dentre essas a musa fetichista Bettie Page.

Olivia deu seus primeiros passos profissionais quando cursou a New York School Of Visual Arts (1967-1970) e voltou-se às pinturas minimalistas.

Na metade da década de 1970, com um baixo rendimento financeiro, a artista se viu forçada a procurar trabalhos mais comerciais, nisto surgem às primeiras parcerias em revistas e propagandas masculinas.

Publicações como “Malibu Cheesecake: The Pin-Up Art Of Olivia”, “Bettie Page By Olivia” e “American Geisha: The Art Of Olivia III” fazem o imaginário de qualquer um voar alto.

Atualmente, fãs e interessados nos trabalhos de Olivia, poderão apreciá-los em galerias, livros, aqui no blog e na revista Playboy.

Bom, melhor deixar a falação de lado para curtirmos a fabulosa arte de Olivia De Berardinis, que hoje, é uma senhora respeitável com seus 63 anos de idade.
Breathless
Fireworks
Little Dragon 
Page in Black
Dita: The Night They Invented Champagne
Gizmo
Cat and Mouse
Cunning Stunt

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

As Fábulas dos Irmãos Grimm

Os irmãos Jacob Grimm (1785-1863) e Wilhelm Grimm (1786-1859) são a genialidade criativa por trás de famosas fábulas infantis, dentre essas: "Chapeuzinho Vermelho", "Branca de Neve e os Sete Anões", “Cinderela”, “Os Músicos de Bremen” (inspiração para o musical Os Saltimbancos) e "Rapunzel".

A bem sucedida trajetória literária começou para esses jovens alemães após a morte de seus pais, quando se viram em uma agitada rotina laboral errante.

Nessas viagens ouviram muitas histórias, e então, passaram a escrevê-las. Os primeiros contos foram publicados no inicio do século XIX, e imediatamente aclamados pelos leitores.

Sem titubear podemos afirmar que os irmãos Grimm (Brüder Grimm) compõem a principal referência da tradição oral folclórica europeia, uma história dedicada a fantasia que posteriormente voltou a vida através do talento visionário de Walt Disney

Para os cinéfilos, há um filme de 2005 chamado "Os Irmãos Grimm" (The Brothers Grimm), que conta de forma fantasiosa, as viagens dos dois irmãos, intepretado por Matt Damon (Wilhelm Grimm) e pelo saudoso Heath Ledger (Jacob Grimm).

sábado, 5 de novembro de 2011

Impaciente

A Persistência da Memória por Salvador Dali (1931)

IMPACIENTE
(música/poema escrita por GK Lugli)

Enfim... Sexta-feira
Saio do trabalho de encontro marcado
Será que desta vez você estará lá?
Declamo juras de amor em silêncio
Mas o tempo que passa minha memória falha

Tamborilando os dedos na mesa do bar
Afogando minhas angustias no cristalino de um copo
Perco-me no rodar deste ponteiro de relógio
Com a lua a pino e minha paciência a mingo

Impaciência... Você fez de mim um impaciente
Fez de mim um palhaço na espera de um simples abraço
Para quem se contenta com pouco
Bem sabe os passos para se atingir o topo

Sem dúvida a paixão me tornou vulnerável
Parafraseando desculpas para um recomeço
Queria apenas que me trata-se com esmero,
Mas na lei da causa e efeito você sentirá o mesmo

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Escargot: Iguaria Fina ou Asquerosa

Escargot à la Bourguignonne
O termo “escargot” surgiu na França para designar espécimes de caracóis comestíveis, dentre essas, o Petit Gris (pequeno e acinzentado, esta espécie precisa ficar pelo menos uma hora de molho em água avinagrada para eliminar as secreções), o Gros Gris (o gigante cinza da Argélia) e o Gros Blanc (considerado o mais saboroso, por ser alimentado com folhas de vinhas da região da Borgonha). São servidos em suas próprias conchas, sobre travessas com cavidades para seis porções, sendo geralmente consumidos como entrada, em ocasiões que exijam requinte.

Gros Blanc (Helix pomatia)
No momento da degustação, prende-se a concha do molusco com uma pinça apropriada, e com o auxílio de outra mão, retira-se a iguaria utilizando um garfinho. O molho remanescente do prato pode ser embebido em pedaços de pães e levados à boca com os dedos, o que exige à mesa, uma lavanda para a posterior higiene.

Entre as receitas mais famosas, destaca-se uma típica especialidade dos Alpes franceses, o Escargot à La Bourguignonne. Na Itália são conhecidos como “lumachi”, e em países de língua inglesa são denominados “snails”.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Meu Sonho

The Death Dealer por Frank Frazetta (1973)

MEU SONHO
(poema escrito por Álvares de Azevedo) 

EU
Cavaleiro das armas escuras,
Onde vais pelas trevas impuras
Com a espada sanguenta na mão?
Por que brilham teus olhos ardentes
E gemidos nos lábios frementes
Vertem fogo do teu coração?

Cavaleiro, que és? o remorso?
Do corcel te debruças no dorso...
E galopas do vale através...
Oh! da estrada acordando as poeiras
Não escutas gritar as caveiras
E morder-te o fantasma nos pés?

Onde vais pelas trevas impuras,
Cavaleiro das armas escuras,
Macilento qual morto na tumba?...
Tu escutas... Na longa montanha
Um tropel teu galope acompanha?
E um clamor de vingança retumba?

Cavaleiro, quem és? - que mistério,
Quem te força da morte no império
Pela noite assombrada a vagar?

O FANTASMA
Sou o sonho de tua esperança,
Tua febre que nunca descansa,
O delírio que te há de matar!...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...